The most creative ecosystem is being built in Lisbon

In a Web Summit week, here’s a video of Lisbon and investment.

Criação e Produção : Solid Dogma
Artista : Alexandre Farto
Protagonistas :
Anthony Douglas
Filipa Neto
Kalaf Ângelo
Mariana Duarte Silva
Miguel Santos aka DJ Glue
Pedro Campiche aka Corleone
Música : Orelha Negra
Realização e Edição : José Pando Lucas, João Pedro Moreira, Alexandre Farto
Assistente Realização : Ana Portela
Drone : Mário Silveira
Produtor : Samuel Avelar e Rute Avelar
Produção artística : StudioVhils
Pós- produção áudio : Som de Lisboa
Pós- produção vídeo : Íngreme / Márcio Pité
Adereços : Sara Lança e Carolina Sacramento
Figuração : Valente Produções

Agradecimentos Invest Lisboa
8º Colina
Belarmino Barbearia Clássica
Centro nacional de formação de golf do jamor
ChicbyChoice
Copenhagen Coffee Lab
Fabrica Coffee Roasters
Flur
Hotel Valverde
Hole 19
Hub Criativo de Lisboa
Livraria Sá da Costa
Montana
Museu da Eletricidade
Park
Topo
Underdogs
Village Underground

Apple – Accessibility – Sady (vídeo)

“We believe that technology should be accessible to everyone — including Sady Paulson, who uses Switch Control on a Mac to share her thoughts on doing what you love.” Apple.

The Simple Solution to Traffic

Vídeo

WordCamp Porto 2016

Vídeo

Em 2016, Portugal conta novamente com um WordCamp, desta feita na cidade Invicta.

Este ano haverá novidades no formato do evento, com o objectivo de continuar a fazer crescer a família WordPress Portugal.

O WordCamp Porto será daqui a 1 semana nos dias 14 e 15 de Maio e o ISEP voltará a ser o ponto de encontro.

Mais informações no site do WordCamp Porto 2016

PLOW | why are we here?

Vídeo

PLOW helps you focus on the content that is most likely to reward your attention by pooling together the collective wisdom of people that share your interests. All of us, individually, are content scouts. But scouting for worthwhile content should not be a lonely affair.

 

More info: plow.io

Biancoshock: “WEB 0.0”

Vídeo

Nem sempre se consegue aceder à internet e as ligações telefónicas não são propriamente exemplares. Em Civitacampomarano, pequena aldeia italiana na província de Campobasso, as pessoas comunicam à maneira antiga. São pouco mais de 400 os habitantes, quase todos idosos, e a tecnologia não faz parte do dicionário deles. O artista urbano Fra Biancoshock já nos habituou às suas intervenções pouco convencionais (como a das bolhas de plástico anti-stress que instalou em paragens de autocarro) e incómodas (numa passagem pelo Porto, em 2014, criou um trabalho sobre os sem-abrigo que era um murro no estômago: “You cant’t change your life, You can change your dreams”). Biancoshock é, usando as palavras dele, um “efemerealista” com a missão de produzir obras de arte efémeras no espaço mas eternas no tempo. Foi o que tentou fazer em Civitacampomarano. Ali pode não haver vida 2.0 mas as funções das redes sociais estão todas preenchidas: uma cabine telefónica em vez do WhatsApp, um marco de correio a substituir o Gmail, um mural onde se colocam avisos para servir de Facebook, uma moto de três rodas a fazer a função do We Transfer, uma loja de portas abertas que é um eBay real ou a habitante Zia Cesira, uma verdadeira Wikipedia. São apenas alguns exemplos. “A ideia provocadora é mostrar que essas funções virtuais, consideradas pela grande maioria da população como necessárias e essenciais para a vida quotidiana, também existem no país onde a conexão é difícil de alcançar”, escreveu na descrição do projecto Web 0.0 o artista que vive em Milão. Esta “internet da vida real” quer mostrar que estes instrumentos tecnológicos sempre existiram, nas tradições e cultura popular. Há vida para além do ecrã.

via Público

This is an teaser!

Vídeo

“For the 16th year in a row we decided to show you a taste of what OFFF preparations seem like. The school of Atelier worked on a campaign with a twist to show off the reality of every OFFF member and OFFF speaker every year: a mix of pure craziness, hard work, adventures, nervousness and fun! Watch this only at OFFF next May 2016!”

in OFFF, let’s feed the future