Biancoshock: “WEB 0.0”

Vídeo

Nem sempre se consegue aceder à internet e as ligações telefónicas não são propriamente exemplares. Em Civitacampomarano, pequena aldeia italiana na província de Campobasso, as pessoas comunicam à maneira antiga. São pouco mais de 400 os habitantes, quase todos idosos, e a tecnologia não faz parte do dicionário deles. O artista urbano Fra Biancoshock já nos habituou às suas intervenções pouco convencionais (como a das bolhas de plástico anti-stress que instalou em paragens de autocarro) e incómodas (numa passagem pelo Porto, em 2014, criou um trabalho sobre os sem-abrigo que era um murro no estômago: “You cant’t change your life, You can change your dreams”). Biancoshock é, usando as palavras dele, um “efemerealista” com a missão de produzir obras de arte efémeras no espaço mas eternas no tempo. Foi o que tentou fazer em Civitacampomarano. Ali pode não haver vida 2.0 mas as funções das redes sociais estão todas preenchidas: uma cabine telefónica em vez do WhatsApp, um marco de correio a substituir o Gmail, um mural onde se colocam avisos para servir de Facebook, uma moto de três rodas a fazer a função do We Transfer, uma loja de portas abertas que é um eBay real ou a habitante Zia Cesira, uma verdadeira Wikipedia. São apenas alguns exemplos. “A ideia provocadora é mostrar que essas funções virtuais, consideradas pela grande maioria da população como necessárias e essenciais para a vida quotidiana, também existem no país onde a conexão é difícil de alcançar”, escreveu na descrição do projecto Web 0.0 o artista que vive em Milão. Esta “internet da vida real” quer mostrar que estes instrumentos tecnológicos sempre existiram, nas tradições e cultura popular. Há vida para além do ecrã.

via Público

Anúncios

Google Cultural Institute

Vídeo

The Google Cultural Institute helps preserve and promote culture online.

google.com/culturalinstitute/

Brilliant street artist modifies road signs giving them a whole new meaning

Vídeo

Clet Abraham is a street artist that uses to modify road signs with stickers, giving to their cold shape a completely new meaning. His unmistakable style is gaining popularity in Europe, since many cities are filled with his pieces of street art.

This practice is illegal and brought troubles to the artist, but Abraham claims he never affects cparts of the signs that are crucial for its readability. ”I like to add a new meaning to the original one, providing a whole new signification” says Abraham.

Don’t forget to take a look at his Facebook page too: Facebook

CletAbraham1 CletAbraham2 CletAbraham8 CletAbraham9 CletAbraham6

CletAbraham3 CletAbraham5 CletAbraham7 CletAbraham10 CletAbraham11 CletAbraham12 CletAbraham13